Influenzanet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet

http://www.influenzanet.info/

Epiwork Logo
Developing the framework for an epidemic forecast infrastructure.
http://www.epiwork.eu/

The Seventh Framework Programme (FP7) bundles all research-related EU initiatives.

7th Framework Logo
Participating countries and volunteers:

The Netherlands 0
Belgium 0
Portugal 1788
Italy 5119
Great Britain 0
Sweden 0
Germany 0
Austria 0
Switzerland 2455
France 8620
Spain 0
Ireland 262
InfluenzaNet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet. It has been operational in The Netherlands and Belgium (since 2003), Portugal (since 2005) and Italy (since 2008), and the current objective is to implement InfluenzaNet in more European countries.

In contrast with the traditional system of sentinel networks of mainly primary care physicians coordinated by the European Influenza Surveillance Scheme (EISS), InfluenzaNet obtains its data directly from the population. This creates a fast and flexible monitoring system whose uniformity allows for direct comparison of ILI rates between countries.

Any resident of a country where InfluenzaNet is implemented can participate by completing an online application form, which contains various medical, geographic and behavioural questions. Participants are reminded weekly to report any symptoms they have experienced since their last visit. The incidence of ILI is determined on the basis of a uniform case definition.

Hide this information

História das Pandemias desde o século XX

Houve três pandemias de gripe no século XX: a gripe espanhola de 1918, a gripe asiática de 1957 e a gripe de Hong Kong de 1968.

A gripe espanhola, que não teve origem em Espanha, foi de longe a mais mortal, provocando cerca de 40 milhões de mortes em todo o mundo. Foi provocada por um vírus do subtipo H1N1. Foi sobretudo relacionada com uma reedição do que se passou em 1918 a causa do medo generalizado vivido durante a época 2009-2010. A gripe espanhola foi responsável por um decréscimo da esperança de vida nos Estados Unidos, em 1918, de cerca de 10 anos superior a qualquer ano da segunda guerra mundial. Grandemente responsável por este valor foi o padrão pouco usual das mortes provocadas pelo vírus, incidindo sobretudo em crianças até aos 4 anos e em adultos entre os 25 e 34 anos. Julga-se que as faixas etárias acima dos 34 anos foram poupadas por terem tido contacto com um vírus semelhante ao H1N1 que se supõe ter circulado antes de 1889.

Nem todas as pandemias têm efeitos tão desastrosos. As pandemias de 1957 e 1968 provocaram 4 e 2 milhões de mortes, respetivamente. Sendo acontecimentos graves, não se podem comparar ao que se passou em 1918. A gripe asiática foi provocada por um vírus influenza A do subtipo H2N2 e a gripe de Hong Kong por um vírus do subtipo H3N2. Em 1977, foram acidentalmente reintroduzidos vírus do tipo H1N1 na população que, desde então, têm vindo a circular em conjunto com os vírus do tipo H3N2.

De cada vez que há uma pandemia, o subtipo dos vírus que circulavam anteriormente desaparece. É como que substituído pelo novo subtipo, o da pandemia. Assim, entre 1918 e 1957 estiveram em circulação vírus pertencentes ao subtipo H1N1, entre 1957 e 1968 ao subtipo H2N2 e desde 1968 até ao presente o subtipo H3N2. A única exceção foi a reintrodução do subtipo H1N1 em 1977, ano em que não houve substituição do subtipo H3N2.

No século XXI, o famoso vírus H5N1 atemorizou (e atemoriza ainda) toda a população humana pela sua capacidade em provocar uma pandemia. A transmissão da gripe das aves acontece apenas através do contacto humano com aves infetadas. Para ser transmissível entre humanos, condição necessária para que a pandemia aconteça, o vírus tem de sofrer uma mutação genética ou então recombinar com um vírus humano (o que acontece quando alguém é infctado pelo vírus da gripe das aves e humana ao mesmo tempo). Neste último caso, os dois vírus trocam material genético podendo originar um novo vírus e assim iniciar uma pandemia. Não há forma de prever quando estes acontecimentos terão lugar, nem se o vírus H5N1 será o responsável por uma nova pandemia.

A gripe pandémica de 2009 foi provocada por uma nova estirpe de vírus da gripe que afeta humanos, o vírus da Gripe A-H1N1. Este surgiu com segmentos de genes de vírus da gripe suína, aves e humano numa combinação que não tinha sido observada antes. Neste caso, a taxa de mortalidade foi mais baixa comparativamente à maioria das epidemias sazonais,  sendo geralmente o contrário o que acontece numa pandemia.
Jogo de baseball em 1918.
Fonte: Underwood and Underwood/Time & Life Pictures/Getty images
Jogo de baseball em 1918. Jogador protegido com máscara cirúrgica prepara-se para bater uma bola.


Doentes de gripe amontoados
Fonte: Foto Associated Press
Nesta fotografia de  1918, doentes com gripe amontoam-se nas emergências do hospital de Camp Funston, uma subdivisão de Fort Riley, no Kansas.

Diagrama temporal das gripes

Fonte: ECDC

As pandemias registadas desde os finais do século XIX até à atualidade, provocadas por vírus humanos da gripe.