Influenzanet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet

http://www.influenzanet.info/

Epiwork Logo
Developing the framework for an epidemic forecast infrastructure.
http://www.epiwork.eu/

The Seventh Framework Programme (FP7) bundles all research-related EU initiatives.

7th Framework Logo
Participating countries and volunteers:

The Netherlands 0
Belgium 0
Portugal 1576
Italy 4830
Great Britain 5025
Sweden 0
Germany 0
Austria 0
Switzerland 1349
France 6212
Spain 1026
Ireland 354
InfluenzaNet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet. It has been operational in The Netherlands and Belgium (since 2003), Portugal (since 2005) and Italy (since 2008), and the current objective is to implement InfluenzaNet in more European countries.

In contrast with the traditional system of sentinel networks of mainly primary care physicians coordinated by the European Influenza Surveillance Scheme (EISS), InfluenzaNet obtains its data directly from the population. This creates a fast and flexible monitoring system whose uniformity allows for direct comparison of ILI rates between countries.

Any resident of a country where InfluenzaNet is implemented can participate by completing an online application form, which contains various medical, geographic and behavioural questions. Participants are reminded weekly to report any symptoms they have experienced since their last visit. The incidence of ILI is determined on the basis of a uniform case definition.

Hide this information

Vigilância Baseada na Comunidade

Vigilância Baseada na Comunidade

Foi recentemente publicado na Eurosurveillance (a publicação científica do ECDC - Centro Europeu de Prevenção e controlo de doenças) um artigo sobre vigilância baseada na comunidade, dentro da qual o Gripenet se insere. 

A vigilância em saúde pública é usada para a detecção precoce de problemas de saúde pública e para a monitorização do estado de saúde de uma população para orientar e avaliar o impacto das intervenções.

Na maioria dos contextos, a vigilância em saúde pública depende de informações recolhidas pelas unidades de saúde quando os doentes procuram tratamento. Essa abordagem é limitada na sua capacidade de detectar eventos de saúde pública e a ocorrência de doenças em populações que não procuram tratamento nas unidades de saúde ou que enfrentam barreiras ao tratamento. Este pode ser o caso, por exemplo, em áreas de difícil acesso, em áreas onde a população depende muito de curandeiros tradicionais ou tratamentos alternativos, ou em populações com doenças estigmatizantes, como infecções por HIV. Envolver os membros da comunidade para recolher informações de saúde de dentro de suas comunidades e relatá-las para fins de vigilância de saúde pública tem ganho cada vez mais interesse como uma abordagem para lidar com essas limitações. Essa abordagem é convencionalmente chamada de "vigilância baseada na comunidade" (VBC).

O artigo apresenta uma revisão interessante dos diversos cenários e plataformas, chamando também a atenção para a necessidade de definir concretamente o termo 'vigilância baseada na comunidade'. Realça ainda como é prioritátio identificar boas práticas e desafios para a implementação e operação da VBC. bem como identificar atividades prioritárias para apoiar os países na implementação e fortalecimento da VBC.

Fonte: Eurosurveillance (Fonte)

23 de January de 2019 às 15:29