Influenzanet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet

http://www.influenzanet.info/

Epiwork Logo
Developing the framework for an epidemic forecast infrastructure.
http://www.epiwork.eu/

The Seventh Framework Programme (FP7) bundles all research-related EU initiatives.

7th Framework Logo
Participating countries and volunteers:

The Netherlands 0
Belgium 0
Portugal 1582
Italy 4839
Great Britain 0
Sweden 0
Germany 0
Austria 0
Switzerland 1350
France 6220
Spain 1029
Ireland 354
InfluenzaNet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet. It has been operational in The Netherlands and Belgium (since 2003), Portugal (since 2005) and Italy (since 2008), and the current objective is to implement InfluenzaNet in more European countries.

In contrast with the traditional system of sentinel networks of mainly primary care physicians coordinated by the European Influenza Surveillance Scheme (EISS), InfluenzaNet obtains its data directly from the population. This creates a fast and flexible monitoring system whose uniformity allows for direct comparison of ILI rates between countries.

Any resident of a country where InfluenzaNet is implemented can participate by completing an online application form, which contains various medical, geographic and behavioural questions. Participants are reminded weekly to report any symptoms they have experienced since their last visit. The incidence of ILI is determined on the basis of a uniform case definition.

Hide this information

Utilização de cuidados de Saúde - Dados Gripenet

Utilização de cuidados de Saúde - Dados Gripenet

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, através do seu Departamento de Epidemiologia, realizou um estudo com o objetivo de caracterizar o comportamento de procura de cuidados de saúde numa amostra da população portuguesa face a sintomatologia de gripe (síndrome gripal-SG), com base em informação recolhida pelo sistema de vigilância participativa Gripenet. Resultados obtidos indicam que a maior parte da população (71,3%) não recorre a nenhum serviço de saúde numa situação de SG.

Nas seis épocas de gripe estudadas (2011/2012 a 2016/2017) foram identificados na base de registos de Gripenet, 4196 casos de SG, com idade entre os 1 e 86 anos, dos quais 39,8% eram do sexo masculino. Ainda segundo os resultados deste estudo preliminar, o serviço mais referido foi o dos cuidados de saúde primários (11,4%), sendo a frequência de utilização de uma consulta de medicina geral e familiar estável ao longo das épocas.

O recurso a urgência/serviço hospitalar foi referido em 6,2% das notificações, mas variou ao longo das épocas, sendo mais elevado na época 2012/2013, em que existiu cocirculação de vírus do tipo A(H1) e B (linhagem Yamagata). O recurso ao serviço SNS 24 foi referido por 3,7% dos casos notificados no período em estudo, um resultado que os autores do trabalho consideram surpreendente, “na medida em que seria expectável que quem participa num sistema de vigilância participativa online pudesse ter uma utilização mais frequente de uma ferramenta de aconselhamento e encaminhamento à distância”.

Atualmente, o Gripenet é o único sistema de monitorização de base populacional não dependente da procura de cuidados existente em Portugal para a vigilância da gripe. Este sistema de vigilância participativa, em que qualquer cidadão residente em Portugal pode voluntariamente participar, conta com mais de 2000 participantes ativos que respondem a questionários online entre novembro e maio, permitindo a monitorização da epidemia sazonal.

“Utilização dos cuidados de saúde na presença de síndrome gripal: descrição das épocas 2011/2012 a 2016/2017” foi publicado na edição de setembro-dezembro de 2018 do Boletim Epidemiológico Observações, publicação científica editada pelo Instituto Ricardo Jorge em acesso aberto. Para consultar o artigo de Irina Kislaya, Ausenda Machado, Verónica Gomez e Ricardo Mexia, clique aqui.

Fonte: INSA (Fonte)

11 de January de 2019 às 09:36